Translate

terça-feira, 20 de junho de 2017

Projeto de Lei "Semana Municipal da Cultura Indígena"


Texto: Lucas Mendes
BAURU PODE TER UMA SEMANA MUNICIPAL DA CULTURA INDÍGENA
                                                       Irineu Nje'a Presidente da ARACI CULTURA INDÍGENA
                                Foto: Vinicius Lousada

Abrindo os trabalhos da 20ª sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Bauru, Irineu Nje'a fez uso da tribuna para defender o Projeto de Lei nº 44/17, que institui a Semana Municipal da Cultura Indígena, passando a integrar o Calendário Oficial de Eventos do Município de Bauru. Semelhante ao que ocorre com outras linguagens culturais, a ideia é institucionalizar o evento, para que seja garantida sua execução, inclusive com dotação orçamentária própria.
Com uma fala contundente sobre a questão indígena na nossa região, principalmente no que diz respeito à educação e à visão colonizada e genérica com que são tratados os povos indígenas brasileiros, ele lembrou também da atuação necessária da Araci Cultura Indígena em Bauru e o trabalho de pedagogia da resistência e protagonismo indígena, já há 3 anos batalhando contra o preconceito e pela democratização do conhecimento.
"São 120 anos de história de Bauru, e este será o primeiro projeto realmente relacionado à questão indígena a tramitar nessa Casa", disse Irineu durante sua fala. De autoria do prefeito municipal, o projeto só viabilizou-se devido à articulação da Araci e seus membros.
Na região, localiza-se em Avaí a Reserva Araribá, onde encontram-se as etnias Terena, Kaingang e Guarani.
Vídeo Irineu Nje'a defende o Projeto de Lei "Semana Municipal da Cultura Indígena"
Segundo noticia do site oficial  Câmara Municipal de Bauru no dia “19/06/2017 Vereadores aprovaram a instituição do evento, que passa a integrar o Calendário Oficial de Bauru. Presidente da Associação Renascer em Apoio a Cultura Indígena ( ARACI), Irineu Nje’a utilizou a tribuna da sessão da Câmara Municipal nesta segunda- feira  (19/06) para defender a importância da Semana Municipal da Cultura Indígena . O projeto de Lei  que instituiu o evento, inserindo-o ao calendário Oficial de Bauru SP, foi aprovado por unanimidade entre os parlamentares durante os trabalhos do dia. Do Povo Terena, Irineu Neje’a explanou sobre a necessidade de democratização do conhecimento sobre a cultura indígena. “Essa é a primeira matéria indígena discutida na Câmara de Bauru”, exemplificou. Graduado em historia, Irineu falou ainda sobre os preconceitos que os  povos indigenas tem sofrido  e sobre a ausência de discussão relativa a essas questões mesmo nas universidades. Existem cerca de 435 indigenas residindo no município de Bauru”


domingo, 2 de abril de 2017

CHEGA DE PRECONCEITO!!

ISA | #MenosPreconceitoMaisÍndio

Uma analise sobre o vídeo, mostra a realidade do pensamento preconceituoso  da sociedade não indígenas, em relação aos povos indígena no Brasil. A falta de conhecimento acerca da diversidade  peculiar cultural indígenas, faz com que muitas pessoas continuem,  aos preconceitos, criado há mais de quinhentos anos atrás. A essas pessoas denominamos  de neo-colonizadores, devido a depreciação da cultura indígena ao longo dos séculos, tudo por  interesses próprios para beneficiar se ou até mesmo aos não simpatizantes com os indígenas.
O neo-colonizadores tem em seu subconsciente,  pensamentos arraigado que  remetem historicamente ao retrocesso de muitos  indígenas, na omissão aos direitos políticos, lutam pela continuação do genocídio e do etnocídio indígena. Esses neo-colonialistas dizem  muitas coisas, entre elas de que os indígenas não pode usar roupas,  não podem usufruir das tecnologias ( celular, TV, antena parabólica etc), não podem moram em casa de alvenaria,  caso contrário não é mais “índio”.
É claro que tem existem exceções de povos indígenas, que ainda vivem tradicionalmente em  tempos paleolítico, que também tem que ser respeitados. Mas ao pensar ou até mesmo reproduzir esses pensamentos dos neo-colonizadores em que   se  um Terena, Guarani, Kaingang seja de qual povo for, quando usufrui das vantagens da modernidade inventa e usada pelo não indígena e depois vir com argumentos de   eles não é mais indígenas, isso não da o direto a ninguém de provocar o etnocídio, eles tem a livre escolha em se auto se declarar.
Mesmo com a modernidade com a interculturalidade que vem acontecendo nestes cinco séculos, os povos indígenas resistem fortemente para que a tradição oral, imaterial e línguas sejam enraizadas dentro de cada ser indígenas.
Entre nesse luta de menos preconceito e mais indígena, "posso ser o quem você é, sem deixar de ser quem eu sou"  

domingo, 19 de março de 2017

CAMISETA CULTURA INDÍGENA

Seja um parceiro da ARACI CULTURA INDÍGENA, contribua  adquirindo uma camiseta do Evento Semana Cultural Indígena 2017, por apenas $ 35,00 ( Trinta e cinco reais). Obs. Despesas e tarifas dos correios por conta do cliente.
Caso queira contribuir com qualquer valor depositar para ARACI CULTURA INDÍGENA, Banco Caixa Federal, C/C 593-3. AG 4207, Operação 003
"Cultura Indígena Apoia Essa ideia"
araciculturaindigena@gmail.com


terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

A Campanha Continua. Doe um Livro com temática indígena.

Foto: Daniela Arcanjo Rodrigues
Cultura indígena conhecendo a historia de um Brasil verdadeiro!!! 

A Biblioteca Comunitária Koxomonety é uma iniciativa da ARACI CULTURA INDÍGENA, localizada na cidade de Bauru SP. ARACI CULTURA INDÍGENA através da  Biblioteca Koxomonety traça seu objetivo maior que é  à difusão da cultura dos povos indígenas existente no Brasil, para os leitores  da cidade de Bauru e Região. Implantada  para um públicos apaixonado  em  querer conhecer  a cultura Indígena através dos livros, formando assim,  novos adeptos em defesa da causa indígena. 
A realização do Projeto Biblioteca Comunitária Indígena koxomoneti é urgente, pois   estará contribuindo para o fomento e a disseminação, sobre a cultura indígena. Seu acervo estará proporcionando subsidio   para os educadores e alunos em suas pesquisas acadêmicas, trabalhos científicos, trabalhos escolares etc. 
Pela falta de conhecimento  sobre a  questão  indígena, tema pouco discutido nos meios educacionais deixa uma lacuna em cumprir a  lei 11.645 como de fato, e os maiores prejudicados, são os alunos  que aprendem a cultura indígena  de maneira equivocada. 
Do início da campanha em 2016, hoje a biblioteca Koxomonety tem 600 acervos só de temáticas indígenas que trazem aproximadamente 20 etnias, a biblioteca  está  pronta para atender toda sociedade, livros organizados em um único lugar, pelo fato desses materiais estarem espalhado pelo Brasil.  
ARACI CULTURA INDÍGENA é uma entidade sem fins lucrativos, que necessita do seu apoio para continuar essa luta em  diminuir o preconceito contra o indígena, através da leitura e do conhecimento. 
A Biblioteca Koxomonety também ajudará   para o fortalecimento,  da questão indígena na cidade de |Bauru SP,   democratizando e dando acessibilidade ao  universo dos povos indígenas no Brasil. 
Aos parceiros que contribuíram para este acervo agradecemos do fundo do coração, pelo fato de uma ideia sair do papel para realidade. 
Ma  nossa campanha continua, precisamos de mais livros,   amigos entra nessa campanha doe um livros.  
Contato e-mail araciculturaindigena@gmail.com, endereço para   envio para Praça Machado de Mello s/n Estação Ferroviária - sala ARACI, Bauru SP, Centro, CEP 17010-280. Dentro da cidade de Bauru iremos buscar o livro em qualquer local. 
Observação  Livros só com temática indígena, antropologia etc.

Agradecimentos:
ARGOS Editora Universitária
Editora Curt Nimuendajú
Canal 6 Editora
FUNAI - Brasilia /DF
FUNAI - CTL Bauru/SP
Iepé - Instituto de Pesquisa e Formação Indígena
ISA - Instituto Sócio Ambiental
Marco Aurélio Nedel (escritor)
Museu do Índio - RJ
NEPPI - Núcleo de Estudo e Pesquisas das Populações Indígenas -UCDB/ Mato Grosso do Sul
Todos amigos que doaram livros

Alguns acervo da Biblioteca Koxomonety



 





 











 Qualquer doação em espécie, depositar para ARACI CULTURA INDÍGENA: BANCO CAIXA FEDERAL, C/C 593 -3, AG 4207, OPERAÇÃO 003
Cultura Indígena Apoie Essa Ideia